Pular para o conteúdo
Início » Blog » Esterilização Humana: Vasectomia e Laqueadura

Esterilização Humana: Vasectomia e Laqueadura

    Esterilização Humana: Vasectomia e Laqueadura Tubária - Médico - Paciente - Consentimento Informado - Dr. Alessandro Caldonazo, Advogado especialista em Direito Médico e da Saúde, Campinas, SP

    A esterilização humana, pode ser utilizada por homens e mulheres, através da vasectomia ou da laqueadura, é um tema complexo e sensível que envolve aspectos médicos, éticos, jurídicos e psicológicos. Na prática, vivencio diariamente as nuances e desafios desse tema, acompanhando de perto as decisões dos médicos e orientando-os sobre as melhores práticas para garantir a segurança jurídica e o bem-estar dos pacientes.

    Neste artigo pretendo abordar a esterilização humana de forma profunda e esclarecedora, focando nos seguintes pontos:

    1. O que é Esterilização Humana?

    A esterilização humana é um procedimento médico definitivo e irreversível que visa impedir a procriação. Ela pode ser realizada por meio da vasectomia (no homem) ou da laqueadura tubária (na mulher), também chamada de ligadura de trombas. Ademais, o procedimento é mais comum de ser realizado nas mulheres.

    2. Tipos de Esterilização Humana:

    2.1. Vasectomia:

    A vasectomia é um procedimento cirúrgico simples e rápido realizado no homem, que consiste na ligadura e secção dos ductos deferentes, por onde passam os espermatozoides. Após o procedimento, o homem continua produzindo esperma, mas sem espermatozoides.

    Importante ressaltar a relevância do retorno às consultas médicas para analisar a situação da cirurgia. Visto que pode ocorrer naturalmente a reversão do procedimento a modo de ocorrer a plena e inusitada fertilidade.

    Exemplo:

    Um homem de 35 anos, com dois filhos, decide realizar a vasectomia após conversar com sua esposa. Ele busca um médico especialista em urologia para realizar o procedimento, que é realizado com anestesia local e dura cerca de 30 minutos. Após a vasectomia, o homem ainda poderá ejacular, mas o sêmen não conterá espermatozoides. É importante ressaltar que a vasectomia não oferece proteção contra doenças sexualmente transmissíveis (DSTs).

    2.2. Laqueadura Tubária:

    A laqueadura tubária é um procedimento cirúrgico mais complexo realizado na mulher, que consiste na ligadura e secção das trompas de Falópio, por onde passam os óvulos.

    Exemplo:

    Uma mulher de 40 anos, com três filhos, decide realizar a laqueadura tubária após o parto de seu último filho. Ela busca um médico especialista em ginecologia para realizar o procedimento, que pode ser realizado por laparotomia (incisão no abdômen) ou por laparoscopia (técnica minimamente invasiva). Após a laqueadura tubária, a mulher não poderá mais engravidar. É importante ressaltar que a laqueadura tubária também não oferece proteção contra DSTs.

    3. Consentimento Informado para Esterilização Humana:

    O consentimento informado é fundamental para a realização da esterilização humana. O médico deve conversar com o paciente sobre os riscos e benefícios do procedimento, as alternativas disponíveis, e as consequências da esterilização, como a irreversibilidade do procedimento. O paciente deve ter pleno conhecimento de todas as informações antes de assinar o termo de consentimento informado.

    Importante ainda salientar que para que ocorra a cirurgia de vasectomia ou laqueadura é necessário o Consentimento Informado do parceiro conjugal do paciente.

    Exemplo:

    Um médico urologista conversa com um paciente de 30 anos que deseja realizar a vasectomia. O médico explica ao paciente que a vasectomia é um procedimento definitivo e irreversível, que não protege contra DSTs, e que existem outras alternativas para o controle da natalidade, como preservativos e pílulas anticoncepcionais. O paciente demonstra compreensão das informações e assina o termo de consentimento informado.

    Quem pode fazer a Esterilização ?

    A esterilização humana é um procedimento legal no Brasil, desde que seja realizada com o consentimento livre e esclarecido do paciente, após a completa maioridade civil (18 anos) e sem qualquer tipo de coação. A manifestação de consentimento não deve ser realizada durante períodos de incapacidade mental, temporária ou definitiva do manifestante.

    A lei estabelece que a esterilização (vasectomia ou laqueadura) pode ser realizada em homens ou mulheres com capacidade civil plena e maiores de 21 anos e/ou que possuam ao menos 2 filhos vivos. Ainda assim, deve-se esperar o prazo de 60 dias da tomada de decisão para a efetivação da cirugia, este tempo é dado como forma de repensar a escolha pela realização da cirurgia, uma vez que a cirurgia é permanente.

    Entretanto, a lei esclarece que a cirurgia também pode ser realizada em paciente que possuam risco de morte ou à saúde do futuro concepto.

    5. Atuação de um Advogado especialista em Direito Médico e da Saúde em Casos de Esterilização Humana:

    De acordo com o art. 10 da lei 9.263/1996, os autores da cirurgia serão punidos com pena de reclusão de 2 a 8 anos, podendo aumentar em 1/3 se a esterilização foi realizada em época de parto ou aborto.

    Um Advogado especialista em Direito Médico e da Saúde poderá lhe auxiliar nas seguintes situações:

    • Orientação sobre o consentimento informado: Posso te auxiliar na elaboração do termo de consentimento informado para a esterilização humana, garantindo que todas as informações necessárias estejam presentes no documento e que o paciente tenha pleno conhecimento de seus direitos e deveres.
    • Análise de casos complexos: Posso analisar casos complexos de esterilização humana, como casos envolvendo menores de idadepessoas com deficiência, ou casais em litígio.
    • Defesa em processos judiciais: Caso seja necessário ingressar com uma ação judicial por erro médico relacionado à esterilização humana, eu te representarei em todas as etapas do processo, garantindo a sua defesa técnica e jurídica.
    • Atualização sobre Legislação e Jurisprudência: Estou sempre atualizado sobre as últimas decisões dos tribunais e as mudanças na legislação relacionada à esterilização humana, o que garante a você uma assessoria jurídica embasada e atualizada.

    A esterilização humana é uma decisão importante e irreversível que deve ser discutida com calma e esclarecimento entre o médico e o paciente.

    Ter uma assessoria jurídica especializada é essencial para te proteger nos momentos cruciais que podem custar, infelizmente, sua carreira!
    • Postagens Recentes na Página :
    Bioética Médica: Uma jornada através do Dilema Moral - Dilema de Autonomia - Dilema de Beneficência - Dilema de Justiça - Princípios da Bioética - Dr. Alessandro Caldonazo, Advogado especialista em Defesa Médica e Direito Médico e da Saúde - Local: Campinas, SP
    Bioética Médica: Uma Jornada Através do Dilema Moral

    A bioética médica surge como um farol que ilumina a tempestuosa relação entre o profissional de saúd…

    Dano estético em cirurgias estéticas - Cirurgia Plástica - Harmonização Facial - Tipos de Danos - Requisitos para sua caracterização - Medidas para minimizar riscos - Dr. Alessandro Caldonazo, advogado especialista em defesa médica
    Dano Estético: Uma Abordagem Detalhada para Médicos

    Dano Estético em Cirurgia Estética: Uma Abordagem Detalhada para Médicos O dano estético, uma conseq…

    Violação do Sigilo Médico Definições, Abrangência e Limitações do Sigilo profissional Consequências e Tipos de Violações - Dr. Alessandro Caldonazo, Advogado especialista em Direito Médico e da Saúde em Campinas - SP
    Violação do Sigilo Médico

    Violação do Sigilo Médico: Desvendando os Riscos e Responsabilidades O sigilo profissional, tam…

    Precisa de ajuda?